Honras a Manoel de Medeiros Brito - Centro Universitário do Rio Grande do Norte - UNI-RN
  • Home
  • Núcleos
  • Honras a Manoel de Medeiros Brito

Honras a Manoel de Medeiros Brito

Daladier Pessoa Cunha Lima

  Reitor do UNI-RN

Bom mesmo é chegar aos 90 anos e ter na lembrança uma plêiade de tantos fraternais amigos, bem assim, manter, ao longo de muitos anos, o mesmo ritmo cordial, alegre e solidário nos diversos encontros da vida. Aos que já partiram para sempre, a afeição parece até aumentar, perpetua-se nos laços de uma pura e sincera amizade. Bom mesmo é chegar aos 90 anos e ver as pessoas mais próximas, aquelas envoltas no amor familiar, a cumprirem suas missões, a vencerem os embates do dia a dia e a crescerem para o futuro. Bom mesmo é saber que um longo tempo já passou, mas ficou a marca das boas ações em prol do bem comum. Bom mesmo é chegar aos 90 anos em pleno vigor físico – ele diz que duas doses de cachaça por dia protegem-lhe a saúde – e poder olhar também para a frente, a fim de vislumbrar o quanto de produtivo e benéfico ainda é possível fazer; é ter a memória ativa e repleta de um passado que já vai longe, cheia de fatos alegres ou tristes, dramáticos ou banais, quase todos importantes para a história política do Rio Grande do Norte, nas últimas sete décadas. Assim é Manoel de Medeiros Brito, com sua profunda fé em Deus, sereno e feliz por suas vivências do passado e do presente, as quais lhe permitem, lhe instigam e lhe exigem planos para o porvir. 

Nasceu em Jardim do Seridó-RN, em seis de julho de 1928. Seu pai era dono de vistoso hotel da cidade, no qual se hospedavam conhecidos políticos do Estado. Desde cedo, então, ele conheceu figuras de destaque nas funções públicas do Rio Grande do Norte. Seus primeiros estudos foram em Jardim do Seridó e em Natal, mas, em 1950, mudou-se para o Rio de Janeiro, onde graduou-se na Faculdade de Direito do Distrito Federal. Eleito deputado estadual, cumpriu o mandato de 1955 a 1959. Exerceu diversos cargos públicos: Chefe do escritório do Governo do Rio Grande do Norte na capital do país; Procurador Advogado dos Feitos do Estado; Ministro e Presidente do Tribunal de Contas do Estado; Secretário Chefe do Gabinete Civil do Governo; Secretário Estadual do Interior e Justiça (oito anos); Secretário do Interior, Justiça e Segurança Pública (quatro anos). Como exemplo para outras gerações, mais do que a importância dos cargos exercidos, devem ser levadas em conta a honradez, a seriedade e a competência no desempenho das funções. Poucas pessoas ostentam um rol de serviços prestados à sociedade tão extenso e com tantos méritos.

Ao longo da vida, Manoel de Medeiros Brito, até pela opção para as funções públicas, manteve convivência com os maiores líderes políticos do Rio Grande do Norte. Apesar de ter convicções e de adotar decisões firmes, mesmo com a diversidade dos cargos exercidos, alguns tidos como difíceis tarefas, e das posições radicais que muitas vezes as lutas políticas ensejam, ele mantém íntegras as amizades e recebe a admiração e o respeito de todos, independente de partido.

Na Liga de Ensino do Rio Grande do Norte – UNI-RN, HC, ED –, tenho a sorte de com ele trabalhar, de quem recebo, quando recorro, sensatas sugestões, além de me comprazer com rápidas, amenas e, para mim, profícuas conversas. O livro tão esperado que ele escreve sobre suas memórias está em fase de conclusão, o qual, com certeza, será obra definitiva no tocante à recente história político-social do nosso Estado. Portanto, diante do perfil humano desse notável norte-rio-grandense, é preciso e é justo se proclamar todas as honras a Manoel de Medeiros Brito.     


Utilizamos cookies para assegurar que lhe fornecemos a melhor experiência na nossa página web.

Política de Privacidade Ver opções