Meio século do Crutac - Centro Universitário do Rio Grande do Norte - UNI-RN
  • Home
  • Núcleos
  • Meio século do Crutac

Meio século do Crutac

O Crutac, Centro Rural Universitário de Treinamento e Ação Comunitária, foi instalado em 02 de agosto de 1966, portanto, há 50 anos. Participei do evento, o qual ocorreu em Santa Cruz-RN, no Hospital geral da cidade, local que serviu de apoio às principais ações na fase inicial do recém-criado programa da UFRN. Santa Cruz e as pequenas urbes vizinhas estavam em festas e ansiosas, à espera da presença da Universidade e dos seus diversos setores e atores, dispostos a participarem na promoção da qualidade de vida da região do Trairí. Quem era o ator principal de toda aquela jornada humana? Quem era o cavaleiro andante que andava com os pés firmes no chão, cheio de sonhos e ideais certos para conquistar?  Óbvio, era Onofre Lopes da Silva, fundador e primeiro Reitor da UFRN, que se tornou um dos maiores benfeitores do seu Estado.

A nova sigla logo se afirmou e o nome do Programa expressava a ideia central de envolver a Universidade em ações na área rural, por meio de um grande projeto de extensão acadêmica. Longe de abrigar objetivos assistencialistas, às vezes movidos por metas eleitoreiras, o Crutac trazia o foco único da promoção social. As ações cresciam em relevância por reunir alunos das diversas áreas da UFRN, na busca de torná-los cidadãos mais conscientes e mais aptos para lidarem com suas responsabilidades sociais, não somente na fase de graduação, mas também – e sobretudo – após receberem seus diplomas e passarem a exercer as diversas profissões.

Onofre Lopes era um líder ousado e de forte carisma, cuja palavra tinha a força de tocar e de repercutir na emoção e na mente dos ouvintes. Essa certeza já se provara anos antes, quando ele, com exemplos e com palavras certas, conseguiu empolgar muitos norte-rio-grandenses, na fase da fundação e da instalação da UFRN. Pouco tempo depois, com a Universidade já federalizada, nova campanha Onofre Lopes levou avante, no intuito de convencer os diversos setores da UFRN a se engajarem, de corpo e alma, nessa outra luta para a criação do Crutac. Vi de perto, na condição de médico do projeto, desde a sua fase mais precoce, o quanto a instituição aderiu e se mobilizou, a fim de atender aquela cruzada a favor do bem comum, sob a guarda de uma universidade com fortes raízes telúricas, mas sem deixar de ser universal.

“Há tempo para todo o propósito debaixo do céu.” Meio século já se foi, desde que o Crutac deixou de ser apenas uma ideia e passou à prática, com expansão posterior para grande número de instituições do Brasil. Seu rápido sucesso mostrou o quanto era oportuno. Esse sucesso deve-se também creditar a todos os que se dedicaram ao projeto, aos pioneiros e às gerações seguintes, pela devoção e pelo amor à tarefa. Durante os primevos tempos, na fase heroica do Crutac, registraram-se fatos e histórias memoráveis, com todos os participantes a fazerem o melhor, pois o ideal de servir estava à frente de qualquer ambição de proveito pessoal, como se uma forte mística pairasse sobre aquele ambiente de trabalho. Hoje, adaptado às condições atuais, deve servir de fonte de reflexão sobre o papel das universidades no mundo moderno, e de como elas podem se voltar para o seu meio social. No apagar das 50 velinhas, aplausos para o Crutac, orgulho da Universidade Federal do Rio Grande do Norte.

Daladier Pessoa Cunha Lima
Reitor do UNI-RN

Utilizamos cookies para assegurar que lhe fornecemos a melhor experiência na nossa página web.

Política de Privacidade Ver opções