Medicina e literatura (1) - Centro Universitário do Rio Grande do Norte - UNI-RN
  • Home
  • Núcleos
  • Medicina e literatura (1)

Medicina e literatura (1)

Hoje, o que está em voga é a Medicina Baseada em Evidências – MBE –, a qual se apoia em processos científicos, por meio de estudos de natureza estatística e epidemiológica. A prática da MBE, somada ao uso do enorme acervo disponível de exames provindos do avanço tecnológico, além das pesquisas genéticas, permitem dizer que a velha máxima que compara o amor com a medicina já não tem sentido, virou somente um refrão nostálgico e histórico? Essa conclusão não prospera, a começar pela relação médico-paciente, crucial para o êxito de qualquer tratamento. Além disso, o quadro clínico ainda precisa se transformar em relato meticuloso, desde a anamnese, exame físico completo e os antecedentes, a fim de que as tomadas de decisões contenham o maior número possível de acertos. Todo esse cenário exige do médico a aptidão para produzir textos. Assim, a medicina não pode prescindir da palavra escrita, até porque, não sendo uma ciência exata, os registros médicos sempre se impõem para a busca do melhor caminho a seguir.

Portanto, o médico se obriga a trabalhar com a escrita de textos, e isso ele aprende desde os tempos da Faculdade. Esses textos do registro médico, no geral, são um tanto frios, pois devem ser um retrato falado da realidade. Por outro lado, o contato constante com a dor, com o sofrimento, com a doença, com a cura e com a morte, enfim, com emoções intensas, seria causa que influi e induz alguns médicos a se tornarem escritores? Ícone no Brasil entre os médicos escritores, Moacyr Scliar (1937-2011) cita alguns nomes que preenchem essa condição, nos âmbitos mundial e nacional: François Rabelais, Anton Tchekhov, Conan Doyle, William Carlos Williams, Somerset Mairghaim, Louis-Ferdinand Celine, Jorge de Lima, Miguel Torga, Peregrino Júnior, Pedro Nava, Guimarães Rosa, Cyro Martins e Lobo Antunes. Aqui no Rio Grande do Norte, restrinjo-me a citar apenas os três médicos escritores falecidos em datas mais recentes: José de Anchieta Ferreira, Ernani Rosado e Paulo Bezerra. Em todo o planeta, as letras fascinam muitas mentes voltadas à arte de Hipócrates. No entanto, o próprio Scliar pergunta: “É possível estabelecer uma relação precisa, uma associação causal, por assim dizer, entre medicina e literatura?"

Daladier Pessoa Cunha Lima

Reitor do UNI-RN

Utilizamos cookies para assegurar que lhe fornecemos a melhor experiência na nossa página web.

Política de Privacidade Ver opções