Haltern am See - Centro Universitário do Rio Grande do Norte - UNI-RN
  • Home
  • Núcleos
  • Haltern am See

Haltern am See

Uma jovem alemã, Marie Bussmann, 20 anos, está em Natal para rever amigos e curtir a cidade por cerca de um mês. Bonita, risonha e afável, ela se afeiçoou aos amigos que aqui deixou, após o intercâmbio rotário de um ano, em 2012/2013. A minha família teve a sorte de hospedar Marie, por boa parte do tempo que aqui passou, durante a jornada do Rotary. Minha filha Daladiana foi sua “host-mother”, e, portanto, a jovem alemã tem mãe, irmãs, primos, tios e avós do Brasil, conforme se fala nesse tipo de intercâmbio. Todos guardam por ela constante bem-querer.

Em janeiro de 2013, aqui estiveram seus pais, Hans e Gabi, comunicativos, alegres e interessados em conhecer o mundo. Ele gosta de futebol, frequenta os estádios, e, como não podia deixar de ser, falamos sobre as seleções dos nossos países. Expressei-lhe minha opinião, bem antes da Copa, de que a Alemanha seria a mais viável seleção para se sagrar campeã.  Hans não discordou, mas disse que a seleção do Brasil, jogando em casa e com cinco títulos mundiais, merecia o maior respeito. Não sabia ele, nem sonhava eu que algo inimaginável viria a ocorrer, no decorrer da partida entre Brasil e Alemanha, no dia 08/07/2014, em pleno estádio Mineirão.

Marie mora com os pais, com uma irmã e com um irmão, na cidade alemã Haltern am See, com 38.000 habitantes, no estado da Renânia do Norte – Vestfália (Nordrhein Westfalen). Ela pretende estudar Pedagogia, em Berlim, com ênfase para a atenção aos alunos surdos-mudos. A capital do estado é Düsseldorf, que fica cerca de 90 km de Haltern. Além de Düsseldorf, nesse estado estão as cidades de Colônia e Bonn, terra natal de Ludwig van Beethoven (1770-1827). Haltern am See, antes do dia 24 de março de 2015, era conhecida por ser mais uma entre as muitas bonitas e pacatas cidades da Alemanha. Porém, após aquele trágico dia, Haltern am See passou a figurar com destaque em páginas de jornais e revistas, na TV, nas mídias eletrônicas, enfim, o mundo voltou os olhos para esse lugar da Alemanha. Ao seu povo bom e simpático, agora, só resta orar pelos seus mortos na tragédia do voo 4U9525 da Germanwings, quando o Airbus A320 se chocou com as montanhas dos Alpes franceses, no percurso Barcelona – Düsseldorf, causando a morte de 150 pessoas que estavam a bordo, pois, dentro do avião, estavam 14 estudantes e duas professoras da escola Josef-Koeing Gymnasiun, de Hastern am See. A pequena urbe, no íntimo do seu povo, lamenta ser vista agora pelo mundo através da lente de uma tragédia.

A cidade, onde boa parte das pessoas se conhecem, prostrou-se em extrema tristeza e luto, especialmente os familiares e a escola que perderam entes queridos, alunos e mestres. Nessa escola, Marie estudou por oito anos, quando fez, poucos anos atrás, a mesma viagem de estudos para a região de Barcelona, na Espanha. Ela diz que Haltern am See foi invadida por repórteres do mundo todo, o que gerou certo desconforto, pela falta de respeito de alguns com o pranto e a dor dos amigos e parentes próximos das vítimas. Para as famílias de Haltern, por meio de Marie, sua “embaixadora” em Natal, enviamos a emoção solidária de todos os que, nesta terra do sol, são sensíveis à dor do outro e pródigos de calor humano.

Utilizamos cookies para assegurar que lhe fornecemos a melhor experiência na nossa página web.

Política de Privacidade Ver opções